Empresa no vermelho: saiba como agir!

Em tempos de instabilidade na economia mundial não é raro se deparar com a empresa no vermelho.

Todos nós sabemos que as dificuldades com as finanças estão afetando muitas pessoas e empresas. Segundo levantamento do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), mais de 600 mil pequenas empresas fecharam as portas em 2020 por causa da Covid-19.

Apesar das dificuldades, é importante analisar o cenário e identificar as alternativas possíveis. Um bom planejamento estratégico pode ser fundamental na manutenção da atividade empresarial e saúde financeira da empresa. Está com a empresa no vermelho e precisa mudar drasticamente o resultado do seu fluxo de caixa? Então, confira as dicas que apresentamos ao longo deste post!

Crie políticas de contenção de gastos

Evidentemente, com a empresa no vermelho, é preciso cortar gastos. No entanto, é fundamental entender qual a melhor forma de reduzir as despesas, utilizando critérios adequados. Uma boa opção é elaborar um programa de encolhimento de despesas sério e robusto.

Ainda, reúna-se com os principais líderes para desenvolver estratégias de economia consistentes, fragmentadas e globais. Pense também sobre o consumo de água, energia elétrica e papel.

Caso tenha sede em imóvel alugado, tente negociar o valor da locação ou mesmo analise uma possível mudança de endereço. Da mesma forma, reflita sobre a troca de fornecedores e a substituição de insumos — desde que a troca não afete a qualidade do produto final. Se você trabalha com entregas, otimize os roteiros para não fazer viagens desnecessárias.

Desenvolva programas de redução de inadimplência

Infelizmente um dos problemas mais sérios enfrentados na pandemia. Este ponto, acho importante manter, até para o tópico fazer sentido.

Além disso, é possível cruzar dados para agendar seus maiores recebimentos em datas próximas às suas contas mais elevadas. Assim, o gestor consegue reduzir no banco o número de dias da empresa no vermelho e, de quebra, economizar com juros.

Renegocie seus débitos

O atual contexto de recessão tem um aspecto positivo: os credores estão mais propensos a renegociações e acordos. Afinal, como diz o ditado, mais vale um pássaro na mão do que dois voando.

No entanto, até para renegociar é preciso ter critério. Diante disso, uma dica é começar pelos débitos com as taxas de juros maiores. Porém, antes de procurar pelos credores, defina quanto por mês você consegue reservar para o pagamento de seus compromissos atrasados.

Durante a tentativa de acordo, os detalhes fazem muita diferença. Nesse sentido, analise os indicadores do fluxo de caixa para saber quais são as datas em que eles são mais favoráveis. Assim, você agenda o vencimento das parcelas para perto desses dias.

Otimize o tempo

Muitas despesas encolhem quando se automatizam processos. Com a empresa no vermelho, é claro que não seria sensato investir em robôs de última geração. Mas você pode começar a trabalhar com softwares a preços acessíveis para executar tarefas repetitivas.

Por exemplo: fechamento da folha de salários, emissão de notas, geração de boletos etc. — tudo isso pode ser digitalizado a preços razoáveis. Assim, você reduz gastos causados por erros e duplicidades. Tem mais: a mão de obra ganha tempo para se dedicar a tarefas mais importantes.

Terceirize as questões burocráticas

A gestão empresarial em momentos de crise ganha muito ao levar especialistas para a condução de suas questões burocráticas sejam elas contábeis, trabalhistas, tributárias, entre outras.

Mesmo antes deste cenário, as empresas brasileiras já tinham suas finanças prejudicadas com as tarefas administrativas envolvendo assuntos fiscais, contábeis, trabalhistas, previdenciários e afins. Afinal, sabemos que a tributação e a legislação de contabilidade brasileiras são complexas, o que é ainda mais crucial para uma empresa no vermelho.

Além disso, essas regras estão sempre mudando, de modo a exigir enorme dedicação para segui-las à risca. Por esses motivos, entregar o trabalho para quem domina o assunto traz bastante resultado para o desempenho financeiro. Veja, a seguir, como a profissionalização dessas atividades proporciona economia!

Gestão e planejamento contábil

Quando bem executado, um planejamento contábil é uma arma potente a favor do negócio. Com a terceirização das atividades, o trabalho fica a cargo de profissionais capacitados e experientes nessas funções. Ou seja, consultores especialistas vão ajudar a encolher as despesas por causa de erros, como multas e pagamento de juros em decorrência de atrasos e equívocos.

Além disso, você pode reduzir ou até dispensar a equipe contábil interna, o que será mais uma oportunidade de diminuir custos. Assim, o gestor pode focar no core business, trazendo mais negócios e recursos para sua organização. Lembre-se de que é possível contar com a contabilidade como parceira da gestão, desde que ela seja executada com excelência e agilidade.

Planejamento fiscal e tributário

Nada pior para uma empresa no vermelho do que gastos excessivos com impostos e pagamento de multas por atrasos e falhas de apuração. Por esse motivo, fazer o planejamento tributário faz toda a diferença para sair do sufoco.

Com essa estratégia, é viável aproveitar melhor os incentivos e isenções fiscais. Sabe o que isso significa? Pagar menos impostos sem infringir nenhuma lei. Ou seja, é mais um alívio para a quitação dos débitos.

Legislação empresarial e planejamento societário

Com a empresa no vermelho, pode haver algumas mudanças societárias. Afinal, sempre existe a possibilidade de um sócio desistir do negócio ou mesmo a necessidade de vender parte da companhia para se capitalizar.

Nesse contexto, regularizar a situação de forma imediata ajuda a economizar. Isso vale tanto para multas — já que a reestruturação deve ser comunicada aos órgãos fiscalizadores — como para prejuízos financeiros por conflitos entre donos, investidores, diretoria etc.

Por falar em divergências, outra maneira de superá-las é com planejamento societário. Esse serviço organiza documentos e estabelece regras que satisfaçam todas as partes interessadas em um projeto de mudança administrativa.

Ao terceirizar mais essa gestão, a organização também reduz os gastos decorrentes de disputas e ou transformações na participação da companhia. Assim, se houver baixas, cisão ou mesmo novas incorporações, tudo será rapidamente oficializado e resolvido.

Gestão de Departamento Pessoal e Consultoria Trabalhista

Mais uma brecha para reduzir custos é abrir mão das emblemáticas funções da gestão do departamento de Recursos Humanos. Isso pode ser feito por meio da contratação de uma organização parceira e com expertise no assunto.

Com essa estratégia, sua companhia não precisa mais se preocupar com a contagem de encargos trabalhistas, nem com o levantamento da folha de pagamento ou com a distribuição dos lucros para os sócios. Também não haverá mais erros nesses cálculos, uma vez que a tarefa ficará a cargo de especialistas na área.

Viu como é possível mudar a realidade de uma empresa no vermelho? Investir na saúde financeira do negócio é essencial para protegê-lo das adversidades e torná-lo sustentável. Além disso, medidas como corte de gastos, disciplina, organização e otimismo ajudam o empreendedor a sobreviver a qualquer crise.

Gostou do que leu? Se sim, espalhe conhecimento para seus contatos! Compartilhe este post em suas redes sociais!

Compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Preencha o formulário e um dos nossos especialistas entrarão em contato com você.

*preenchimento obrigatório

Preeencha o formulário para receber o nosso e-book.

Baixe o e-book clicando no botão abaixo.